Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Com Bolsonaro, permissões para explorar nióbio na Amazônia crescem 156%

O presidente defende o metal desde antes da campanha eleitoral e já falou sobre ele até na Assembleia Geral da ONU
Com Bolsonaro, permissões para explorar nióbio na Amazônia crescem 156%
Foto: Alan Santos/PR

As autorizações para a exploração de nióbio na Amazônia mais que dobraram durante o governo de Jair Bolsonaro (foto), diz a Folha.

Entre 2019 e 2021, 295 requerimentos de exploração do metal foram protocolados, segundo um levantamento feito a partir de dados da Agência Nacional de Mineração. A entidade concedeu 171 autorizações de pesquisa no período, das quais 64 foram para a região da Amazônia Legal.

Nos três anos anteriores, foram 120 requerimentos e 74 autorizações de pesquisa. Para a Amazônia, foram 25.

Com isso, o aumento do aval para exploração de nióbio na Amazônia foi de 156%.

Entre as áreas com pesquisas autorizadas pela ANM, estão nove assentamentos de reforma agrária, sem evidências de que os assentados tenham sido consultados, e franjas de duas terras indígenas e de uma unidade de conservação federal.

Bolsonaro é ‘tarado’ em nióbio. O presidente defende a exploração do metal desde antes da campanha eleitoral e já falou em nióbio até na Assembleia Geral da ONU.

O Brasil já é o principal produtor da substância, com 88% da produção mundial. Devido à falta de demanda, no entanto, as jazidas brasileiras têm material suficiente para abastecer o mercado pelas próximas décadas.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....