Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Quem é Luciano Huck?

Quem é Luciano Huck?
Divulgação

Luciano Grostein Huck nasceu em São Paulo, em 1971. Desde 1995, é apresentador de televisão, tendo passagens pela Rede Bandeirantes e pela TV Gazeta.

Em 2000, ingressou na Rede Globo para comandar o Caldeirão do Huck, que se tornou líder de audiência aos sábados e é transmitido até hoje.

Desde 2014, Huck tem se posicionado com mais intensidade no cenário político nacional. Na eleição presidencial daquele ano, apoiou Aécio Neves, do PSDB, na disputa com Dilma Rousseff, do PT.

O apresentador cogitou uma candidatura própria à presidência em 2018, mas acabou desistindo da ideia por pressão da família. Ele também perderia o programa na Rede Globo, caso fosse derrotado.

Ainda assim, Luciano Huck vem sinalizando  interesse em concorrer nas eleições de 2022, novamente como candidato a presidente. Para isso, vem mantendo conversas com Rodrigo Maia, Sergio Moro, Luiz Henrique Mandetta e Flávio Dino, entre outros personagens.

O apresentador se coloca como “progressista” e pretende fazer frente a Jair Bolsonaro como alternativa a radicalismo. Nas redes sociais, Huck faz postagens críticas ao governo e ao presidente. O apresentador tem participado de lives com uma série de figuras políticas, com o objetivo de expor suas opiniões.

Huck tem flertado com partidos como DEM, Cidadania, Rede e PV.

Em março, assinou um manifesto pela democracia ao lado de outros presidenciáveis defendendo uma “terceira via” contra Lula e Bolsonaro.

Família

1231 470x353
Foto: Reprodução/Redes Sociais
Luciano Huck é filho do jurista Hermes Marcelo Huck e da urbanista Marta Dora Grostein. O apresentador é meio-irmão do diretor de cinema Fernando Andrade, filho de sua mãe com o ex-diretor da Playboy Márcio Andrade.

Desde 2004, Luciano é casado com a também apresentadora da Globo Angélica Ksyvickis, com quem tem três filhos: Joaquim, Benício e Eva.

Em 2015, um avião que transportava o casal e os filhos fez um pouso de emergência em uma fazenda no Mato Grosso do Sul. Eles tiveram ferimentos leves.

Ligação com a política

1222222222 562x353
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Eleições de 2014

No pleito presidencial de 2014, Luciano Huck começou a se posicionar no cenário político nacional. Na ocasião, apoiou o candidato do PSDB , Aécio Neves, contra a então presidente Dilma Rousseff, do PT.

Luciano e Aécio são amigos de longa data. O tucano, inclusive, foi padrinho de casamento do apresentador, em 2004. Na época, Aécio era governador de Minas Gerais. No cargo, ele chegou a emprestar um avião do governo mineiro para o apresentador.

Durante a campanha de 2014, Huck ofereceu um jantar em sua casa em apoio à candidatura de Aécio, como forma de angariar votos para o tucano no Rio de Janeiro.

Huck tenta candidatura em 2018

Com a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos, personalidade que nasceu fora da política, Luciano Huck ganhou o incentivo de Paulo Guedes, ainda em 2016, para disputar as eleições presidenciais de 2018.

Segundo Guedes, sua filha, Paula Drummond Guedes, empresária da área de tecnologia, costumava fazer pesquisas para entender melhor o perfil do brasileiro, com o objetivo de aprimorar o funcionamento de sua empresa, a Jobzi, um site de busca de emprego. Ele conta que, a partir de uma dessas pesquisas, percebeu o nome de Luciano Huck como uma boa alternativa para as eleições.

De acordo com o atual ministro da Economia, as pesquisas indicaram que teria chances de sucesso um candidato jovem, com perfil de empresário, bom comunicador, com forte presença nas redes sociais e que fosse percebido como autêntico e humano. Ele e sua filha entenderam que essa pessoa seria Luciano Huck.

A partir de então, Huck e Guedes se aproximaram. O apresentador começou a trabalhar com o objetivo de candidatar-se em 2018, enquanto Guede levava a ideia adiante em conversas com empresários.

Huck também foi apresentado ao ex-governador do Espírito Santo Paulo Hartung, que segundo ele, era seu “Mestre Miyagi”.

A ideia de Huck era se candidatar pelo PPS, atual Cidadania. Houve resistência de grupos dentro do partido, que defendiam a candidatura do ex-ministro da Educação Cristovam Buarque. No entanto, o impasse foi superado e o presidente da sigla, Roberto Freire, disse que as portas do PPS estavam abertas para o apresentador.

Huck acabou desistindo da candidatura influenciado pela família e pelo receio de perder o contrato com a Rede Globo.

Aécio Neves, apoiado por Huck em 2014, disse às vésperas da campanha de 2018 que a candidatura do apresentador era fruto da “falência política”.

O PPS acabou apoiando a chapa de Geraldo Alckmin, do PSDB, e Paulo Guedes foi convidado por Jair Bolsonaro para ser seu “superministro” da Economia.

No segundo turno entre Bolsonaro e Fernando Haddad, Luciano Huck tentou demonstrar neutralidade, mas divulgou um vídeo nas redes sociais afirmando que nunca votou e nunca votaria no PT. Ao comentar a candidatura de Jair Bolsonaro, o apresentador disse: “pode amadurecer”.

No contexto de uma possível candidatura, Huck se aproximou do grupo RenovaBR, fundado pelo empresário Eduardo Mufarej em 2017. A iniciativa tem o objetivo de promover a renovação política. O apresentador se tornou apoiador e garoto propaganda do grupo.

Nas eleições de 2018, o Renova BR elegeu 17 candidatos. Entre eles, Marcelo Calero e Tabata Amaral. Nas eleições municipais de 2020, foram 147 eleitos.

Possível candidatura de Huck para a presidência em 2022

Desde que desistiu de sua candidatura à presidência em 2018, Huck vem trabalhando nos bastidores em busca de uma oportunidade em 2022.

Sua família, que o pressionou para desistir da candidatura nas últimas eleições, começou a dar sinais de consentimento com a possibilidade. Em entrevista, em 2019, Angélica admitiu: “Tem uma hora que você não está mais no controle. É uma espécie de chamado”, sinalizando que Huck teria o consentimento da família para se lançar à presidência. A mãe do apresentador também deu declarações nesse sentido.

O objetivo de Luciano é se lançar como uma “terceira via” em 2022, diante de um provável cenário polarizado entre Jair Bolsonaro e o PT. Pensando nisso, ele tem conversado com políticos dos mais diversos partidos e ideologias.

Entre eles, o ex-juiz Sergio Moro, o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta, o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia, o governador do Maranhão, Flávio Dino, e até o ex-presidente da Argentina Mauricio Macri.

Desde 2018, Huck mantém relações explícitas com diversos partidos, como PSDB, DEM, PSB, Podemos, PSD, Cidadania, Rede e PV. Os três últimos cogitaram a possibilidade de uma fusão para abrigar o apresentador. Paulo Hartung, que segue como conselheiro de Huck, sugere que ele aguarde o máximo que puder para definir uma posição sobre 2022.

O DEM foi um dos partidos dos quais ele mais se aproximou. Mas, enquanto flertava com o DEM de Rodrigo Maia, Huck teve um almoço na casa de Sergio Moro, em outubro. Isso irritou profundamente o deputado. O apresentador ofereceu um almoço a Maia no dia seguinte que a notícia veio à tona, tentando contornar a situação, e afirmou: “minha turma é essa aqui”, se referindo ao então presidente da Câmara.

As chances de Huck optar pelo DEM ficaram mais distantes depois que o partido apoiou, de última hora, o candidato de Jair Bolsonaro, Arthur Lira, na disputa pela presidência da Câmara, traindo Rodrigo Maia. Recentemente, em nova mudança de posição, o DEM deu carta branca a Mandetta para construir sua candidatura para 2022.

Enquanto isso, Luciano Huck se aproximou ainda mais do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB. Isso enfureceu João Doria, que cogita disputar o pleito presidencial de 2022 pelo partido. O governador de São Paulo vê o apresentador como ameaça por entender que os dois disputam na mesma faixa do eleitorado.

Aliados de Huck garantem que ele definirá sua candidatura até o fim do ano. A Globo pretende tirá-lo da programação em 2022 caso ele venha a concorrer. A emissora deve definir sua grade de programação até junho deste ano.

Quando Fachin anulou as condenações de Lula, em fevereiro de 2021, Luciano afirmou: “figurinha repetida não completa álbum”, sugerindo que o petista não seria um bom nome para 2022. Lula respondeu dizendo que: “figurinha repetida e carimbada vale pelo álbum inteiro”.

Em abril de 2021, Luciano Huck, Luiz Henrique Mandetta, João Doria, Eduardo Leite, João Amoêdo, e Ciro Gomes divulgaram um manifesto em defesa da democracia e de uma terceira via nas eleições de 2022, diante de um provável cenário polarizado entre Lula e Jair Bolsonaro.

Compra de jatinho com empréstimo do BNDES

Em 2003, Luciano Huck e os empresários Philip Eric Haegler e Mário Pederneiras fundaram a empresa H2F Serviços Técnicos Aeronáuticos, com capital de R$ 12 mil. Ela viria a se tornar a Brisair, prestadora de serviços de táxi aéreo com jatinhos.

Em 2010, já com o novo nome, a empresa pertencia a Huck e Angélica. O capital da empresa, de acordo com a Junta Comercial, era de R$ 1,2 milhão.

Durante o governo Dilma, em 2013, o BNDES aprovou um empréstimo de R$ 17,7 milhões à empresa de Huck, para comprar um jatinho Embraer Phenom 300. Na época, a quantia era 14 vezes maior que o capital social da empresa. O BNDES custeou 85% do valor total da aeronave, R$ 20,8 milhões.

A Brisair conseguiu o financiamento, de 3% ao ano, com intermédio do Itaú. Luciano era garoto propaganda do banco na época.

Quando Lula foi solto, em novembro de 2019, ele veio de Curitiba para São Paulo usando uma aeronave alugada da empresa de Luciano Huck.

Carreira e histórico político de Huck

2 588x353
Foto: Divulgação/TV Globo
1971 – Nasce Luciano Grostein Huck em São Paulo.

1991 – Depois de iniciar e abandonar o curso de direito no Largo São Francisco, Huck estagiou na agência W/Brasil, de Washington Olivetto, e na DM9, de Nizan Guanaes. Luciano também atuou na Revista Playboy, da qual o pai de seu meio-irmão Fernando, Márcio Escobar Andrade, era diretor de redação.

1993 – Huck começa a coluna social “Circulando” no Jornal da Tarde.

1994 – Estreia na televisão comandando um quadro no programa Perfil, apresentado por Otávio Mesquita.

1995 – Sua coluna “Circulando” se torna um programa de TV na Gazeta.

1996 – Ingressa na TV Bandeirantes para apresentar o Programa H, voltado para o público jovem.

1999 –  Assina contrato com a TV Globo e começa a apresentar o Caldeirão do Huck. O programa, exibido nas tardes de sábado, se torna líder de audiência, consolidando o horário que no passado foi ocupado por Chacrinha.

2003 – Luciano Huck e dois sócios fundam a empresa H2F Serviços Técnicos Aeronáuticos, com capital de R$ 12 mil. Ela viria a se tornar a Brisair, prestadora de serviços de táxi aéreo com jatinhos.

2004 –  Huck se casa com a apresentadora Angélica, com quem viria a ter três filhos: Joaquim, Benício e Eva.

Aécio Neves, na época governador de Minas Gerais, é padrinho do casamento.

2010 – De acordo com a Junta Comercial, a empresa de Huck, Brisair, já pertencia somente a Luciano e a Angélica. O capital social já era de R$ 1,2 milhão.

2013 – BNDES aprova empréstimo de R$ 17,7 milhões à Brisair para comprar um jatinho Embraer Phenom 300. Na época, a quantia era 14 vezes maior que o capital social da empresa. O BNDES custeou 85% do valor total da aeronave.

A Brisair conseguiu o financiamento, de 3% ao ano, com intermédio do Itaú. Luciano era garoto propaganda do banco.

2014 – Luciano Huck começa a se posicionar com mais intensidade no cenário político nacional. Na ocasião, apoia o candidato do PSDB à presidência da República, Aécio Neves, contra a então presidente Dilma Rousseff, do PT.

2015 – Avião com Luciano Huck, Angélica e os filhos do casal faz um pouso de emergência em uma fazenda no Mato Grosso do Sul. Eles tiveram ferimentos leves.

2016 – Paulo Guedes procura Luciano Huck para aventar a possibilidade de uma candidatura do apresentador em 2018. O economista partiu de uma pesquisa feita pela empresa de sua filha, Paula Drummond Guedes, que indicou que o perfil de Huck teria boas chances no pleito.

2017 – Empresário Eduardo Mufarej funda o RenovaBR, grupo que tem o objetivo de promover a renovação política. Luciano Huck é apoiador e garoto propaganda do projeto.

2018 – Huck ensaia uma candidatura à presidência, mas recua pressionado pela família e pelos contratos com a TV Globo. A ideia do apresentador era sair candidato pelo então PPS, atual Cidadania.

Aécio Neves, apoiado por Huck em 2014, afirma que a candidatura do apresentador era fruto da “falência política”.

Durante o segundo turno entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, Luciano Huck tentou manter uma postura de neutralidade, mas divulgou um vídeo nas redes sociais afirmando que nunca votou e nunca votaria no PT. Ao comentar a candidatura de Jair Bolsonaro, o apresentador disse: “pode amadurecer”.

2019 – Em entrevista, Angélica admite: “Tem uma hora que você não está mais no controle. É uma espécie de chamado”, sinalizando que Huck teria o consentimento da família para se lançar à presidência. A mãe do apresentador também deu declarações nesse sentido.

Quando Lula foi solto, em novembro de 2019, ele veio de Curitiba para São Paulo usando uma aeronave alugada da empresa de Luciano Huck.

2020 – Huck conversa com possíveis aliados para as eleições presidenciais de 2022 e se mostra bastante “eclético”. O apresentador tem reuniões com o governador comunista do Maranhão, Flávio Dino, o então presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o pedetista Ciro Gomes, o presidente do DEM, ACM Neto, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, e o ex-juiz Sergio Moro.

2021 – Aliados de Huck garantem que ele definirá sua candidatura até o fim do ano. A Globo pretende tirá-lo da programação em 2022 caso ele venha a concorrer. A emissora deve definir sua grade de programação até junho.

 

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....