Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Navalny será transferido para colônia penal conhecida por casos de tortura

Porta-voz do opositor de Putin publicou nas redes sociais uma série de casos que ocorreram em Melekhovo
Navalny será transferido para colônia penal conhecida por casos de tortura
Reprodução/Instagram

A porta-voz de Alexei Navalny, Kira Iarmych, publicou nas redes sociais nesta quarta-feira (4) uma série de informações sobre a colônia penal da cidade de Melekhovo, chamada IK-6, local para onde o opositor de Vladimir Putin será transferido, por ordem do presidente russo. Navalny (foto) deixará a colônia penal de Pokrov, a IK-2, onde está desde março.

Kira Iarmych mencionou relatos de violência na colônia e o assassinato do prisioneiro Gor Ovakimyan, em 2018, após muitos dias de tortura. Também citou que a administração do local escondeu sua morte de seus parentes por quase uma semana. Quando a família encontrou o corpo de Ovakimian no necrotério, eles viram marcas de armas de choque, dedos das mãos e pés quebrados e hematomas por todo o corpo. Antes, o prisioneiro havia dito a parentes que estava sendo torturado e espancado por se recusar a cooperar com o governo russo.

O atestado de óbito mencionava a causa da morte como pneumonia. No ano passado, o site “Mediazona” publicou uma carta de Ivan Fomin, um prisioneiro que cooperou com a administração da colônia. Ele relatou como ele e outros pessoas no local espancaram Ovakimyan. O próprio Ivan Fomin foi agredido e ameaçado de estupro, caso não cooperasse com a administração. Outros presos também foram espancados e estuprados na frente dele.

Na sequência de publicações, a porta-voz de Navalny também cita a morte do preso Ayub Tuntuyev, em 2019, que foi vítima de tortura. A administração da colônia, no entanto, afirmou que ele cometeu suicídio. Pavel Zotov, outro detento do IK-6, contou como cinco “ativistas” vestidos com uniformes policiais exigiram que ele assinasse alguns documentos. Eles o espancaram e ameaçaram estuprá-lo. Em seguida, ele concordou em assinar.

Jobir Zhuraev, outro detento do IK-6, disse que foi forçado a ficar no frio de cueca, não lhe deram comida e e foi espancado e humilhado. Ele cortou os pulsos e tentou se enforcar.

No fim das publicações, Kira Iarmych afirma que as condições lá já são piores do que em outras prisões, pois não há lei.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....