Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Crusoé: onda sem rumo

Eleição de candidatos majoritariamente de esquerda na América Latina não é uma adesão a ideologias e políticas, mas uma manifestação da aversão aos políticos
Crusoé: onda sem rumo
Gustavo Petro (esquerda), presidente-eleito da Colômbia, e Gabriel Boric, presidente do Chile. Foto: Reprodução

O ex-guerrilheiro Gustavo Petro é o favorito no primeiro turno das eleições colombianas deste domingo, 29, com 40% das intenções de voto, informa a Crusoé.

Caso consiga se sagrar vitorioso também no segundo turno, em junho, Petro, do partido Colômbia Humana, comandará a quinta vitória da esquerda na América Latina desde o início da pandemia de Covid, em janeiro de 2020. De lá para cá, a esquerda ganhou na Bolívia, no Peru, no Chile e em Honduras. A direita só levou a melhor no Equador e na Costa Rica. O quadro regional tem levado muitos brasileiros a comemorar as notícias como uma nova onda de esquerda, principalmente porque Lula está à frente nas pesquisas brasileiras.”

Um olhar mais atento, contudo, mostra um fenômeno de natureza diferente. O que os eleitores em geral estão buscando é substituir os governantes com dificuldade para administrar crises por outros líderes mais frescos e com promessas diferentes. Na Colômbia, a desaprovação do atual presidente colombiano, Iván Duque, é de 67%. Apenas 27% gostam do seu governo, segundo o instituto Invamer. Corrupção, insegurança, economia e desemprego são as principais preocupações dos eleitores.”

LEIA MAIS AQUI; assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....