Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Bolsonaro defende Putin e o chama de "parceiro"

Presidente afirmou que mandatário russo foi o único chefe de Estado a não endossar criação de estatuto internacional para proteger a Amazônia
Bolsonaro defende Putin e o chama de “parceiro”
Foto: Kremlin/via PR

Jair Bolsonaro defendeu há pouco, durante a sua live semanal, as relações do Brasil com a Rússia e chamou de “parceiro” o presidente russo Vladmir Putin.

Ao comentar o conflito na Ucrânia, Bolsonaro citou a importância das Forças Armadas para a preservação da soberania nacional e lembrou que o presidente da França, Emmanuel Macron, tentou criar um estatuto internacional para proteger a Amazônia, em 2019. Na época, Bolsonaro classificou a medida como tentativa de interferência estrangeira na Floresta Amazônica.

Para Bolsonaro, o Brasil teve um grande parceiro para manter a soberania da Amazônia: Vladmir Putin.

“Não esqueçamos que nós temos uma coisa que ninguém tem: a Floresta Amazônica. Pelo menos, em dois momentos, quando se discutia a questão climática e onde alguns chefes de estados conhecidos por todos nós quiseram discutir a soberania amazônica, um chefe de estado, no caso o da Rússia né [Vladmir Putin], vetou aquela discussão e não se tocou mais no assunto”, disse Bolsonaro há pouco.

“Ou seja, nós temos parceiros, um dia, que nos ajudam nessas questões. A Amazônia é nossa. A sua soberania não pode ser relativizada”, declarou.

A manifestação de Bolsonaro vai ao encontro do que afirma uma mensagem que ele compartilhou por WhatsApp nesta semana citando a Rússia como integrante de um seleto grupo de países que seria capaz de enfrentar a “Nova Ordem Mundial”.

Ao longo do conflito entre Ucrânia e Rússia, Jair Bolsonaro tem evitado se manifestar contra as ações de Putin, alegando que isso poderia comprometer o fornecimento de fertilizantes para o Brasil.

Hoje, como mostramos, Bolsonaro recebeu uma ligação do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, em que o britânico ressaltou a necessidade de o Brasil se manifestar contra o conflito, já que o país foi um importante aliado na 2ª Guerra Mundial.

Ainda na mesma live de hoje, Bolsonaro declarou que o Brasil não tem capacidade de resolver os impasses entre os dois países.

“O Brasil continua em situação de equilíbrio e não temos a capacidade de resolver esse assunto. Então, o equilíbrio é a posição mais sensata por parte do governo federal. Nós faremos tudo pela paz. A guerra não vai produzir efeitos benéficos, nem para os dois países, muito menos para o mundo. Qualquer conflito, as consequências estão aí”, afirmou Bolsonaro.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....