Categories: Brasil

Associação questiona vídeos que provariam que tenista chinesa está viva

A WTA se pronunciou após o editor-chefe de um jornal alinhado ao Partido Comunista Chinês publicar o material no Twitter

Associação questiona vídeos que provariam que tenista chinesa está viva
Foto: Robbie Mendelson - originally posted to Flickr as Peng Shuai

Em meio à polêmica em torno do desaparecimento da tenista Peng Shuai (foto), Hu Xijin, editor-chefe do Global Times, jornal alinhado ao Partido Comunista Chinês, publicou neste sábado (20) no Twitter vídeos e fotos que provariam que a atleta está viva.

Em uma das gravações, Peng aparece jantando “com o técnico e amigos em um restaurante”, segundo o editor. Antes, Hu já havia postado, também no Twitter, fotos em que a tenista aparece brincando com um gato em um quarto cheio de bichos de pelúcia.

As datas dos registros, no entanto, não são claras e foram questionadas pela WTA (a Associação de Tênis Feminino).

“Estou contente por ver os vídeos divulgados pela mídia estatal chinesa onde aparecem mostar Shuai Peng em um restaurante em Pequim. Enquanto é positivo vê-la, ainda não é claro se ela está livre possa tomar decisões de forma livre sem coerção ou interferência externa. Esse vídeo somente é insuficiente. E venho falando desde o começo, sigo preocupado com a saúde de Peng e sua segurança e que a alegação de abuso sexual esteja sendo censurada e colocada para baixo de um tapete. Tenho sido claro sobre o que precisa acontecer e nossas relações com a China estão em uma encruzilhada”, disse Steve Simon, presidente da WTA, em comunicado.

Em 2 de novembro, numa rede social chinesa, a tenista disse ter sido estuprada anos atrás pelo ex-vice-primeiro-ministro chinês Zhang Gaoli. Meia hora depois, o post foi apagado, as redes sociais de Peng foram bloqueadas e as menções a ela sumiram da internet na China, sob forte censura do governo. A atleta não foi vista desde então.

Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Tempo de publicação: 4 minutos

Os comentários estão desabilitados