Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Prepare-se! A temporada de resultados vem aí!

Divulgação de resultados das empresas listadas nas Bolsas do Brasil e dos EUA começa na próxima semana; saiba em quais informações é preciso ficar de olho
Prepare-se! A temporada de resultados vem aí!
Foto: B3

Na próxima semana, teremos o início da temporada de divulgação de resultados das empresas listadas nas Bolsas brasileira (foto) e americana. Mas, afinal, em quais informações temos que ficar de olho nas principais companhias?

Vamos começar falando das empresas brasileiras. No dia 20 de abril, devemos iniciar com a divulgação dos resultados da Usiminas (USIM5), empresa que informou um aumento de preços na casa de 20% ao longo do trimestre. Nesse sentido, nossa expectativa é de mais um forte resultado tanto da companhia mineira quanto das demais siderúrgicas, CSN e Gerdau, que devem divulgar seus balanços respectivamente em 4 e 5 de maio.

Na sequência, deveremos ter o Banco Santander (SANB11), que deve apresentar seus dados em 26 de abril. No setor bancário, os pontos de atenção são como as grandes instituições irão reportar seus resultados com a alta dos juros. Se, por um lado, uma Selic mais alta tem o potencial de aumentar os lucros dos bancos, por outro lado, o aumento da inadimplência esperado nas provisões é um fator de risco relevante para os resultados, bem como a carteira de títulos públicos que podem sofrer com a marcação a mercado. Bradesco, Itaú Unibanco e Banco do Brasil divulgarão seus números em 5, 9 e 11 de maio.

Outra gigante que deverá fazer a sua divulgação no dia 5 de maio é a Petrobras (PETR4), talvez a empresa mais comentada da bolsa Brasileira. Nossa expectativa é que a companhia não tenha números tão bons quanto em 2021, visto que ela atrasou o repasse de preços dos combustíveis por 57 dias, o que deve reduzir um pouco sua lucratividade. Entretanto, mesmo com essa perda em suas margens, esperamos um resultado positivo para a estatal que, atualmente, é a segunda empresa mais valiosa do país. A nossa expectativa é de um lucro trimestral por volta de 20 bilhões de reais.

Já a atual maior empresa em valor de mercado da Bolsa brasileira, a Vale (VALE3), deve ter mais um trimestre muito favorável, já que sua commodity, o minério de ferro, ficou cotado a um ótimo patamar ao longo deste começo de ano, com a média de 141 dólares por tonelada. Mesmo com a queda de 17% do dólar, que iniciou o ano cotado a R$ 5,70 e terminou o primeiro trimestre na casa de R$ 4,66, nossa expectativa é que a mineradora tenha um lucro entre 20 e 25 bilhões de reais, o que deve gerar mais uma generosa distribuição de dividendos.

Já as companhias ligadas ao papel e celulose também devem ter números muito interessantes. Começaremos pela Suzano (SUZB3), que divulga seu resultado em 4 de maio; a empresa conseguiu realizar bons repasses de preços na venda de celulose ao longo do período e deve ter seus resultados financeiros favorecidos pela queda da moeda norte-americana diante do real. Nossa expectativa é que a companhia liderada pela família Feffer consiga apresentar uma forte geração de caixa operacional, bem como um lucro entre 5 bilhões e 10 bilhões de reais.

Já a Klabin (KLBN11), que entregou a primeira fase do projeto Puma II no segundo semestre de 2021, também deve apresentar um resultado positivo, com os números sendo divulgados em 3 de maio. Esperamos que a companhia apresente uma geração de caixa operacional no trimestre por volta dos 2 bilhões de reais e um lucro líquido de 1 bilhão a 1,5 bilhão de reais.

Situação menos favorável é esperada nas empresas ligadas ao varejo de eletrodomésticos, como Magazine Luiza, Via e Lojas Americanas, visto que não se beneficiaram com o aumento da taxa de juros, como pudemos observar nos resultados divulgados referentes ao quarto trimestre de 2021.

As três companhias devem divulgar seus resultados no dia 12 de maio e nossa análise não é muito favorável, dado que a renda da população vem sendo achatada pela inflação e, com as taxas de juros altas, o parcelamento de eletrodomésticos se torna mais caro.

nos Estados Unidos, estamos atentos para verificar se as grandes empresas terão condições de continuar repassando preço e, com isso, aumentando seus lucros. O que pode parecer algo vantajoso para os acionistas é também alvo de preocupação, já que esse repasse de preços acarreta mais inflação. Hoje, foi divulgado o Índice de Preços ao Consumidor (CPI), índice que mede a inflação ao consumidor —ela ficou em 8,5% no acumulado dos últimos doze meses, um patamar bastante elevado.

Lá, a temporada de divulgação dos resultados se inicia pelos grandes bancos —a partir de amanhã, 13 de abril, com o JP Morgan, seguido de Citi, Goldman e Morgan Stanley no dia 14.

Na semana seguinte, teremos Netflix em 19 de abril, com a Tesla, do trilionário Elon Musk, divulgando seus números no dia 20. Além desses, temos outros grandes nomes, como a gigante de telecomunicações AT&T, que apresenta seu balanço trimestral no dia 21.

Não faltarão emoções no mercado com as divulgações dos balanços, e você, investidor que acompanha a Inv, receberá informações úteis para tomar as melhores decisões de alocação do seu capital.

Nota: Quer saber como definir o “valor justo” de uma empresa e de suas ações listadas na Bolsa de Valores? No curso “Valuation Total — Valor Além dos Números”, João Abdouni, analista financeiro certificado (CNPI), vai ensinar a você a “habilidade obrigatória” para qualquer investidor de sucesso: o valuation. Ao longo de 1 ano inteiro, você terá, além de 5 módulos de conteúdo educacional, a análise completa de mais de 25 ações para compor uma “carteira de ativos vencedora”. Tudo com a orientação de João Abdouni, um dos maiores especialistas em calcular o valor real de uma ação no Brasil. Para saber mais sobre o curso “Valuation Total”, é só clicar aqui!

 

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....