Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

O mito do empresariado brasileiro

O mito do empresariado brasileiro
Foto: Reprodução, Facebook

“Desde as eleições de 2018, entrou na cena pública um escrete de folclóricos empresários bolsonaristas, tão histriônicos e incorrigíveis como o seu ‘mito’”, diz o Estadão, em editorial. 

“Mas, às vésperas de novas eleições, novas lideranças empresariais têm flertado com o apoio à reeleição de Jair Bolsonaro. Com assombrosa capacidade de abstração, elas excluem de seus cálculos a mistura de estagnação econômica, autoritarismo político, indigência administrativa, instabilidade institucional e degradação moral que é o governo Bolsonaro (…).

A novidade não é a insensibilidade com o opróbrio da esmagadora maioria de seus conterrâneos, a fome, o desemprego, a inflação que corrói a renda das famílias pobres. Essa indiferença é moeda corrente em parte significativa das elites nacionais. O surpreendente é a ignorância em relação aos seus próprios interesses. Com tantos anos de experiência, essa parcela do empresariado parece que ainda não entendeu que os votos comprados pelo populismo hoje cobram juros escorchantes amanhã, seja pela fuga de capitais, escassez de investimentos públicos, deterioração do capital humano e degradação institucional, seja pelos demais ingredientes que alimentam a estagnação da economia, a incivilidade nas ruas ou a rapacidade das classes políticas”.

O capitalismo funciona quando capitalistas cuidam de seu próprio interesse. Quando eles agem contra o próprio interesse, como no caso do apoio a Bolsonaro, o sistema desmorona. A questão, claro, é que do outro lado há Lula, que também promete populismo e subdesenvolvimento. O Brasil está esmagado entre o atraso e o atraso.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....