Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

É o Moro, pipocas

Ao escolher Affonso Celso Pastore como conselheiro econômico, Sergio Moro transformou sua maior lacuna numa gigantesca oportunidade
É o Moro, pipocas
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Sergio Moro escolheu a pessoa certa.

Affonso Celso Pastore representa o que o Brasil tem de melhor em matéria de economia. Ninguém é mais capaz do que ele. Isso muda completamente a campanha presidencial. Sergio Moro conseguiu transformar a maior lacuna de sua candidatura – a falta de um discurso para a economia – numa imensa oportunidade, arregimentando o número um, Affonso Celso Pastore.

Aproveito para fazer um pot-pourri do que ele disse no último ano:

“O Brasil está em frangalhos porque o Bolsonaro está em campanha eleitoral 100% do tempo. Esse governo deveria começar a governar, o que acho que não começou até agora. Está em campanha.”

“Se o governo não tiver uma meta de gasto, o que está em risco é a solvência do governo.

“Há algum tempo eu tenho dito que a tendência do real é ficar fraco e tem operador de banco, que ganha dinheiro em cima disso, que defende para os seus clientes que o real vai se valorizar.  O interesse dele é o bônus, o cara engana a si mesmo e depois toma um susto, aí já é tarde. Não estou dizendo que o real vai ficar fraco porque sou malévolo. Eu estou falando porque estou vendo o risco, pipocas! Não estou interessado em vender um produto falso, mas em olhar as coisas como eu vejo.”

Um presidente da República que não tem um programa, um ministro da Economia que não tem um programa, e vários outros ministros gastadores que têm programas demais. E em vez de pensar em resolver o problema do país, o nosso presidente pensa na sua eleição em 2022 para manter a sua popularidade.”

“Não há política econômica, consequentemente não temos ministro da Economia. Ele no fundo é um propagandista do governo Bolsonaro, está sendo uma peça no tabuleiro político do presidente Bolsonaro. Ele não é uma peça que está encaixada dentro do tabuleiro no qual se deve jogar um jogo e produzir reformas que aumentem a eficiência da economia brasileira.”

“O empresariado acordou. O despertador tocou tão forte que não deu para ficar dormindo. Acordou e saiu da casca.”

Sergio Moro (foto) também acordou e saiu da casca.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....