Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

STF forma maioria para reduzir ICMS de energia elétrica

Os ministros entendem que os estados devem cobrar a alíquota de 17%, ou seja, abaixo do que é cobrado hoje, em torno dos 25%
STF forma maioria para reduzir ICMS de energia elétrica
Foto: Analogicus/Pixabay

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria para impedir a cobrança de alíquotas de ICMS mais altas sobre o fornecimento de energia e telecomunicações.

Os ministros entendem que os estados devem cobrar a alíquota de 17%, que é a aplicada de forma geral pelos governos. Ou seja, abaixo do que é cobrado hoje sobre energia e telecomunicações, em torno de 25%.

O placar está a seis a dois para reconhecer a inconstitucionalidade da alíquota majorada. Como se trata de um recurso extraordinário, a decisão, se confirmada, não derruba a lei do estado catarinense. Ela terá efeito apenas sobre as partes, com a redução da alíquota para as Lojas Americanas S.A no estado de Santa Catarina.

Até agora, a maioria dos ministros seguiu a tese do relator, ministro Marco Aurélio. O magistrado propôs a seguinte tese: “adotada, pelo legislador estadual, a técnica da seletividade em relação ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS, discrepam do figurino constitucional alíquotas sobre as operações de energia elétrica e serviços de telecomunicação em patamar superior ao das operações em geral, considerada a essencialidade dos bens e serviços”.

Marco Aurélio foi seguido até agora pelos ministros Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Edson Fachin e Rosa Weber.

A divergência foi aberta pelo ministro Alexandre de Moraes, que discordou parcialmente do relator. Moraes reconheceu a inconstitucionalidade da alíquota de 25% apenas sobre os serviços de telecomunicações. Moraes foi seguido por Gilmar Mendes.

 

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....