Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

STF define 31 de maio como limite para formação de federações

Mais cedo, a Corte formou maioria para validá-las; apenas o ministro Nunes Marques apresentou voto divergente, sendo contra a validade do instituto
STF define 31 de maio como limite para formação de federações
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Por seis votos a quatro, o plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu, há pouco, que a formação das federações partidárias, ou seja, a junção de partidos para atuar de maneira unificada por um período mínimo de quatro anos, deve ser feita até 31 de maio. 

Mais cedo, a Corte formou maioria para validá-lasO relator, ministro Luís Roberto Barroso, e os ministros André Mendonça, Rosa Weber, Alexandre de Moraes, Edson Fachin e Luiz Fux votaram pela validade e que o registro seja feito até 31 de maio. 

Gilmar Mendes também votou pela validade, mas divergiu para que a data final para registro fosse até 5 de agosto. Mendes foi seguido por Dias Toffoli, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski.  

Apenas o ministro Nunes Marques apresentou voto divergente, sendo contra a validade das federações.

Segundo Nunes Marques, as federações, além de seus propósitos políticos eleitorais, apresentam-se como “manobra destinada a contornar as clausulas de desempenho, sob pretexto da necessidade de existirem pequeno partidos, por serem eles porta-vozes das minorias esquecidas”.

Em dezembro passado, Barroso decidiu que as federações partidárias devem ser registradas até seis meses antes da eleição. Mais cedo, Barroso prorrogou o prazo para que o registro seja até 31 de maio.

Na semana passada, o PT pediu ao ministro Luís Roberto Barroso, relator da ação, a ampliação do prazo para a instituição das federações partidárias para 5 de agosto.

Também em dezembro, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral aprovou uma resolução para regulamentar a adoção das federações partidárias nas eleições de 2022

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....