Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Pivô da debandada da Lava Jato em São Paulo disse a Aras que não há 'livre distribuição' de processos

Pivô da debandada da Lava Jato em São Paulo disse a Aras que não há livre distribuição de processos
Foto: Pedro França/Agência Senado

Pivô da renúncia coletiva dos integrantes da força-tarefa da Lava Jato de São Paulo, a procuradora Viviane de Oliveira Martinez assumiu o posto de coordenadora em março. Dois meses depois, enviou a Augusto Aras um relatório levantando suspeitas de que não haveria “livre distribuição” de processos na Lava Jato.

Segundo ela, os processos que chegam ao 5º ofício, onde funciona a força-tarefa, deveriam ser distribuídos livremente aos demais procuradores e não endereçados aos membros da Lava Jato.

A denúncia feita por Martinez levou Aras a atacar publicamente o grupo paulista durante a famosa live com advogados lulistas para a TV do PT. Na ocasião, os procuradores reagiram, afirmando que a distribuição de processos segue critérios legais.

A Corregedoria do MPF abriu uma apuração sobre o caso.

No relatório que enviou a Aras em maio, Martinez disse que “um contingente muito grande de processos foram remetidos à FTLJ-SP sem passar pela livre distribuição, dos quais muitos não são conexos na forma estabelecida pela PR-SP e deveriam ser livremente distribuídos”.

Nos bastidores, os procuradores reclamam que a procuradora não tem capacidade técnica para coordenar a Lava Jato, o que tem provocado confusão e atraso nas investigações.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....