Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Emendas de relator emperram no Congresso e viram arma para reeleição

Mais de 430 parlamentares já apresentaram propostas; liberação deve ocorrer a partir da definição do novo Congresso, após as eleições
Emendas de relator emperram no Congresso e viram arma para reeleição
Foto: Marcos Brandão/Senado Federal

Mais de 430 parlamentares já apresentaram propostas para destinar verbas para suas bases eleitorais, mas os R$ 16,5 bilhões reservados para as emendas de relator — mecanismo do orçamento secreto — estão praticamente parados neste ano, diz a Folha.

Segundo o jornal, líderes congressistas avaliam que a demora faz parte de uma estratégia para fortalecer Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (PSD-MG) na disputa pela reeleição ao comando da Câmara e do Senado, respectivamente.

“Segundo esses parlamentares, o represamento inusual dessas verbas —em anos eleitorais geralmente ocorre o contrário, ou seja, as emendas são liberadas mais cedo devido às restrições da legislação— tem o objetivo de contemplar com emendas o novo Congresso eleito em outubro, que é quem vai decidir a nova cúpula das duas Casas. As eleições ocorrem geralmente em 1º de fevereiro”, diz a Folha.

Caso o parlamentar não seja reeleito, dificilmente será contemplado com as verbas depois de outubro. Já quem permanece no Congresso conta com passe mais elevado. “Os novos parlamentares, embora não possam oficialmente receber verbas até assumir o mandato, podem também ser atraídos por promessas de herdar o apadrinhamento de emendas daqueles não reeleitos”, lembra o jornal.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....