Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Em mensagens, filha de ministro do STJ diz que pai defendeu invasão ao STF

Em conversa de 2016, a filha de João Otávio de Noronha disse que ele considerava o Supremo "corrompido"; o ministro nega
Em mensagens, filha de ministro do STJ diz que pai defendeu invasão ao STF
Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

A advogada Anna Carolina Noronha, filha do ministro do STJ João Otávio de Noronha (foto), afirmou, em diálogos encontrados pelo MPF no celular apreendido do empresário Marconny Faria, que o pai defendeu a invasão do STF durante o governo de Dilma Rousseff, segundo o Metrópoles.

De acordo com o site, a afirmação da filha de Noronha, conhecida como Nina Noronha, foi feita em março de 2016, durante um diálogo no WhatsApp com Marconny, que é alvo de inquérito do MPF por suspeita de fraudes em licitações no Pará e investigado também pela CPI da Covid.

Na ocasião, Anna afirmou que o pai considerava o STF “corrompido” e seus ministros “comprados”, enquanto relatava a Marconny a indignação de Noronha com a indicação de Lula para ministro da Casa Civil do governo de Dilma. À época, foram registrados protestos em frente ao Palácio do Planalto e na Esplanada dos Ministérios, e a polícia teve que intervir quando houve tentativa de invadir a rampa do Congresso Nacional.

O meu Pai falou (que) os manifestantes deviam sim ter invadido. O palácio. O srf (STF). Pq não há mais instituição. O stf tá corrompido”, disse.

Ela não desmentiu a informação. Em nota, Anna disse apenas não se recordar das conversas e afirmou que seus diálogos privados não refletem a opinião do ministro, que chegou a ser cotado por Bolsonaro para o STF. Procurado pelo site, o ministro João Otávio Noronha negou ter defendido a invasão ao STF ou ao Planalto. Em nota, ele afirmou:

Nunca preguei ou defendi a invasão do STF. E jamais o faria por atentar contra a democracia e por ser um ato de desrespeito à Corte Suprema do Brasil. Tenho pelo Supremo e pelos ministros que o integram o mais profundo sentimento de respeito e admiração. Minha manifestação na sessão da turma foi em defesa da Corte Superior a que pertenço, que estava sendo injustamente atacada.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....