Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Deputados evitam relatar processo contra Eduardo Bolsonaro no Conselho de Ética

Com receio de retaliações do Palácio do Planalto, parlamentares não querem conduzir processo que envolve o filho do presidente da República
Deputados evitam relatar processo contra Eduardo Bolsonaro no Conselho de Ética
Foto: Leonardo Marques - ASCOM/MCTI

Os três deputados que foram sorteados pelo Conselho de Ética da Câmara para relatar o processo por quebra de decoro contra Eduardo Bolsonaro (PL-SP), após ele ter minimizado a tortura sofrida pela jornalista Miriam Leitão durante o período da ditadura militar, desistiram de comandar o processo no colegiado.

A informação foi divulgada por O Globo e confirmada por O Antagonista.

Como registramos no início do mês passado, Eduardo escreveu um comentário asqueroso depois que a jornalista publicou um artigo em O Globo, no qual critica a Terceira Via por tratar Lula e Jair Bolsonaro como iguais. Nas redes sociais, ele fez referência à tortura sofrida por Míriam na ditadura.

Por isso, o Conselho de Ética resolveu instaurar processo por quebra de decoro contra o filho do presidente da República.

O problema agora é achar alguém que queira conduzir o processo.

Os deputados Mauro Lopes (PP-MG), Vanda Milani (PROS-AC) e Pinheirinho (PP-MG), os primeiros indicados, simplesmente abriram mão da vaga. Lopes argumentou que é conterrâneo de Míriam Leitão; Vanda disse que já é relatora de outros quatro processos e Pinheirinho não apresentou justificativas.

Nos corredores da Câmara, porém, os deputados indicaram que temem retaliações do Palácio do Planalto por conduzir um processo relacionado ao filho do presidente da República.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....