Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Bolsonaro diz que PL vai contratar auditoria externa para as eleições

Presidente defendeu em sua live semanal que outros partidos também integrem um consórcio para fiscalizar processo eleitoral
Bolsonaro diz que PL vai contratar auditoria externa para as eleições
Foto: Youtube

Obcecado para encontrar algum indício de fraude nas eleições, Jair Bolsonaro anunciou há pouco em sua live presidencial que o PL de Valdemar Costa Neto vai contratar uma empresa para fazer uma auditoria independente nas eleições de 2022.

Ainda segundo o presidente da República, o trabalho dessa empresa vai começar assim que ela assinar o contrato e que vai acompanhar, inclusive, a fase prévia das eleições, como propagandas eleitorais e convenções partidárias. Bolsonaro defendeu também que outros partidos integrem uma espécie de consórcio para o pagamento dessa auditoria externa.

A decisão foi tomada esta semana, durante reunião com Valdemar Costa Neto.

“Como está na legislação eleitoral, nós contrataremos uma empresa para fazer a auditoria nas eleições. Agora, deixo claro, e até adianto ao TSE: essa auditoria não vai ser feita após as eleições. Uma vez ela contratada, a empresa já começa a trabalhar. A empresa vai pedir ao TSE, com toda a certeza, uma quantidade grande de informações”, declarou o presidente.

Mesmo antes do trabalho dessa empresa, Bolsonaro declarou que a companhia pode, simplesmente, não aceitar o trabalho pelas “dificuldades em se fazer uma auditoria nas urnas eletrônicas”.

“Então, eu entendo que o que pode acontecer, repito, não digo que vá acontecer, pode acontecer… Em poucas semanas de trabalho, essa empresa que faz auditoria no mundo todo, empresa de ponta, pode chegar à conclusão que, antes das eleições, dada a documentação que tem na mão, dado o que já foi feito até o momento para melhor termos eleições livres de qualquer suspeita de ingerência externa, ela pode falar que é impossível auditar e não aceitar fazer o trabalho. Olha a que ponto nós vamos chegar”, afirmou.

“Daí nós estamos vendo o TSE, os ministros agora, [Luís Roberto] Barroso, basicamente, o senhor [Edson] Fachin, entrou agora o ministro [Ricardo] Lewandowski, o senhor Alexandre de Moraes, ficar em uma situação complicada. Ficar em uma situação bastante complicada, porque nós devemos dar uma satisfação”, declarou.

Assista:

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO
×
Oferecimento....